Caio Rossan tem uma personalidade expansiva e acolhedora e chamou a atenção da Rocket no nosso edital de 2021 com "Marcados", thriller que publicaremos em 2022. 

biografia karine ribeiro.png

Biografia

Olha, não vou mentir para vocês: meu sonho de criança era sair por aí, escrevendo suspenses ou sci-fi, com uma mochila nas costas, duas ou três cuecas no compartimento menor, algumas regatas e shorts de linho. Capturaria Pokémons até encontrar uma sociedade alternativa para chamar de minha. Como falei, foi apenas um sonho. A realidade capitalista e os sonhos dos meus genitores me levaram a estudar até o enfado, por quase todas as gerações dos Buendía, para finalmente ingressar no curso de Medicina numa universidade pública.


Antes de ter pelos pubianos, minha mãe já havia me obrigado a ler clássicos como O Alienista, Escrava Isaura, O Cortiço, Moreninha e claro, Dom Casmurro e aquela pergunta mais chata que a do tio do pavê. Resultado: só voltei a lê-los mais tarde porque foi importante para o ENEM. Mas lê-los com dez anos? Zero prazer. Foi aí que, numa das três estantes de livros da singela biblioteca de Jucuruçu, cidade baiana onde cresci, me deparei com a série vagalume. A paixão foi instantânea pelos mistérios bem elaborados e abrasileirados de Marcos Rey e Lúcia Machado de Almeida (e seu inesquecível Escaravelho do Diabo). Pedro Bandeira veio logo depois, afinal, a adolescência foi chegando e a Droga da Obediência gritava por mim.
 

Dos onze aos quinze, escrevi Marcados. Já naquela época, me questionava porque era tão raro ler livros com protagonistas não-brancos, motivo do qual não me via representado nas histórias. Desta forma, criei a Calila, minha primeira protagonista e que também pode ser meu álter ego, sei lá. E falando em mim, sou o Caio Rodrigues dos Santos, mas prefiro ser tratado pelo meu pseudônimo: Caio Rossan. Sou escancaradamente contra hegemônico, levemente agridoce e orgulhosamente nordestino. Sou empático e resiliente. Prático e decidido. Gosto de aprender e de ensinar o pouco que sei. Não há uma gota de sangue de barata em minhas veias. Curto filmes e séries da Marvel, sou apaixonado por Maria Bethânia, pelo rock nacional e internacional. Apaixonado por açaí, cuscuz e tapioca, tenho vários felinos em casa e sou virginiano com ascendente em escorpião; lua e vênus em câncer, pra dar uma equilibrada e deixar meu coração meio idiota.

 

Inclusive, por hora estou solteiro, me considero cinco na escala de Kinsey, sou sapiossexual e
demissexual. Se você leu até aqui, saiba que muitos autores estão por aí, com histórias de vida e livros incríveis, batendo de porta em porta e fazendo-se ser visto até que uma editora acredite neles. A Rocket acreditou em mim, através do meu primeiro thriller: “Marcados”. Lançado na Amazon de forma independente em setembro de 2020, ele obteve críticas positivas tanto no Skoob quanto na própria Amazon. Participo da antologia “Nada é o que Parece” da Editora Oito e Meio (selo Transversal) com o conto “O Garoto”, da coletânea Bardos Baianos com o poema “Por onde Piso” e fui um dos 31 autores selecionados no projeto Novos Autores Baianos, financiado pela Fundação Pedro Calmon via Lei Aldir Blanc, em 2021.

 

Prefiro escrever em primeira pessoa, e utilizo técnicas literárias que brinquem o tempo, como analepse, prolepse, flashbacks e flashforwards. As alterações temporais são naturais e fluídas dentro de um próprio parágrafo, característica ousada, mas que define meu estilo. Também uso em pouca demasia o fluxo de consciência. A intencionalidade da minha escrita é que o leitor se sinta o investigador, atento às pistas que deixo pelo caminho. Também gosto de pontos de virada e tento, na medida do possível, transgredir os formatos já batidos e bem conceituados da jornada do herói.
 

Atualmente, minhas inspirações literárias são Agatha Christie e seus plot twists, Raymond Chandler e seu estilo noir, Conceição Evaristo e sua capacidade de me fazer chorar a cada trecho e Octávia Butler com suas críticas sociais.
 

Tenho twitter mas lá sou apenas voyeur. Tenho facebook, mas ele está bem aposentado. No instagram sou mais ativo, então segue lá, me envia direct com feedback do meu perfil e vamos conversando. Abraço fraterno, criaturas.

caio_rosto-removebg-preview.png