Buscar
  • Cláudia Lemes

Lista de 20 autores nacionais de horror que você precisa conhecer - 2021

Uma busca rápida no Google por autores nacionais contemporâneos de horror mostra que poucas pessoas estão realmente por dentro da cena, e preferem destacar autores em grandes casas editoriais – que não necessariamente escrevem horror, e sim suspense. Por isso, nos sentimos obrigados a fazer uma lista rápida de autores de todos os tipos e jornadas, que escrevem horror no Brasil e representam bem o gênero.


  • Cesar Bravo - Um dos nomes mais expressivos no horror nacional, Cesar ganhou mais popularidade quando foi publicado pela Darkside Books. Tem diversos livros publicados, assim como trabalhos de tradução e organização de antologias de horror. Seus trabalhos de maior destaque são Ultra Carnem e VHS.

  • Karine Ribeiro - Karine está na cena de horror há alguns anos, sempre publicando contos de forma independente e participando de coletâneas. Seu primeiro romance de horror, Secretária de Satã, foi publicado em 2021 pela Rocket Editorial e é finalista do 4o Prêmio ABERST de Literatura. Ela também é tradutora e revisora.

  • Everaldo Rodrigues - Um autor que se destaca pela qualidade da sua prosa e sua total dedicação à literatura, Everaldo já publicou diversas coletâneas de contos de horror, como Passeio Noturno, vol. 1 e vol. 2. Ele ganhou o I Prêmio ABERST de Literatura por O Capeta-Caolho Contra a Besta-Fera.

  • Juliana Daglio - Começou a carreira publicando romances de dark fantasy e mais recentemente, publicou Lacrymosa, pela Bertrand Brasil. Tem também contos em diversas antologias, como a Galeria Clarke, da Editora Wish (organizada por ela) e Veludo&Sangue, da Rocket Editorial.

  • Jorge Alexandre Moreira - Dono de uma narrativa competente e honesta, Jorge ganhou o Prêmio ABERST de Literatura pelo romance de horror Numezu, que também lhe levou a ser finalista do Prêmio Jabuti.

  • Oscar Nestarez - Grande estudioso do gênero, Oscar é uma autoridade acadêmica quando o assunto é horror. É tradutor de obras icônicas do gênero, autor de Bile Negra, vencedor do Prêmio ABERST, e a incrível coletânea Horror Adentro.

  • Bruno Ribeiro - Bruno Ribeiro já estava na cena bem antes de vencer o Prêmio Machado, da Darkside Books. É autor de Arranhando paredes, Febre de enxofre, Bartolomeu, Zumbis e Glitter, finalista do Prêmio Kindle.



  • Verena Cavalcante - Era uma autora discreta nas redes sociais, de livros com escrita brutal e destemida. Ganhou mais visibilidade recentemente ao ser contratada pela Darkside Books. Seus livros de maior destaque são Larva e O Berro do Bode.

  • Marcos deBrito - Está na cena há muitos anos, também como roteirista e cineasta. Seus livros de maior destaque são O Escravo de Capela, A Casa dos Pesadelos e À Sombra da Lua.

  • André Vianco - Um dos nomes mais famosos da literatura de horror nacional, Vianco começou a carreira nos anos 90 e já vendeu mais de um milhão de exemplares. Vianco também é roteirista e diretor de cinema. É mais conhecido pelos seus livros de vampiros. Obras mais famosas incluem: Os Sete, Bento e Dartana.

  • Rubens Francisco Lucchetti - Conhecido como o pai da pulp fiction no Brasil, Lucchetti é um ficcionista, desenhista, e roteirista de filmes e HQs. Sua produção literária é extensa, chegando a mais de mil livros.

  • Ana Paula Maia - É uma escritora e roteirista brasileira, vencedora do Prêmio São Paulo de Literatura em 2018 pelo livro Assim na Terra como embaixo da Terra e também no ano seguinte, com a obra Enterre seus Mortos.

  • Flavio Karras - Flávio escreve horror com humor ácido e temas viscerais. Participou de diversas coletâneas, e seus livros de maior destaque são A Parasita de Almas, finalista do Prêmio ABERST de Literatura, e Indigesto.

  • Juliane Vicente - Escreve muitos contos fantásticos, sendo fã de steampunk e horror. Ganhou o desafio Rocket Pages pelo conto afrofuturista Sankofa e foi finalista do I Prêmio de Flash Fiction da Rocket com o conto Passeio Noturno.

  • Marcio Benjamim - Define-se como "escritor nordestino, gay e aspirante a roteirista". Márcio tem obras expressivas no horror nacional, como Maldito Sertão, Fome e Agouro.

  • Daniel Gruber - Vem do lado acadêmico, e está ganhando mais espaço com obras de folk horror, como A Floresta. Recentemente, organizou a antologia de horror O Novo Horror, com nomes expressivos como Daniel Galera e muitos desta lista.

  • Lia Cavaliera - A jovem é apaixonada por livros e está começando sua produção com narrativas curtas, como os contos O Circo que Ri, A Casa que Sobra e O Coração que Deseja. É um nome que certamente vai se destacar nos próximos anos.

  • Filipe de Campos Ribeiro - Vencedor do 3o Prêmio Aberst por Terra de Sonhos e Acaso, Filipe consegue amarrar horror com história e folclore. Tem uma prosa confiante, sem ser pretensiosa.

  • Camila Fernandes - Ainda com poucas publicações, Camila atua abundantemente no mercado como tradutora e revisora. Suas narrativas são afiadas e criativas, entre elas A Noite Não me Deixa Dormir e Contos Sombrios.

  • Glau Kemp - Ganhou destaque com o livro Quando o Mal tem um Nome, e embora tenha se retraído do mercado nos últimos anos, tem voz forte no horror nacional.

Quais outros autores merecem estar na lista?

186 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo