Buscar
  • Cláudia Lemes

O que é positividade sexual ou "sex positive"?

Saúde sexual = saúde! Conheça novos termos, práticas e filosofias relacionadas a sexo.



No mês passado, a Rocket se dedicou a fazer diversos posts e lives sobre saúde mental. Muita gente se esquece de que parte da saúde é a saúde sexual. Um dos nossos posts mais compartilhados foi O que significa ser Sex Positive? Como estamos colocando livros eróticos no nosso catálogo, dedicamos esta matéria ao assunto. Esperamos que curta!


Resumindo, positividade sexual é ter uma atitude positiva, empática, segura e curiosa em relação a sexo. Parece bem básico e simples, mas precisamos nos lembrar que ainda sofremos muito condicionamento religioso da sociedade, e muitos valores e conotações em relação à sexualidade fizeram parte da nossa criação. Vamos falar um pouco sobre isso aqui, também.


Se você é "sex positive", você:

  • Vê a sexualidade como algo natural, reconhece a sexualidade como parte da vida e da saúde mental e física dos indivíduos;

  • Respeita a sexualidade alheia, desde que essas relações sejam consensuais e seguras, não julga e não se incomoda com a sexualidade alheia;

  • Tem curiosidade em relação às práticas sexuais diversas, o que não necessariamente significa que tenha de praticar ou gostar de todas;

  • Rejeita o conceito de "pureza" (a virgindade como algo moralmente superior), ciente de que ele, estruturalmente, reprime em especial as mulheres;

  • Rejeita as conotações de "pecado" e "impureza" relacionadas ao sexo, por influência religiosa;

  • Entende a importância de praticar sexo de forma saudável, o que inclui a proteção contra DSTs, mas também o respeito com seus parceiros quando eles não querem ou não podem ter relações sexuais;

  • Abraçam o apoio aos parceiros e pessoas com disfunções ou traumas sexuais, assim como pessoas que, devido a problemas mentais, têm dificuldades de se relacionar sexualmente;

  • Pessoas sex positive não enxergam sexo como tabu, normalmente falam sobre o assunto sem constrangimento e com naturalidade (embora não tenham essa obrigação);

  • Ser sex positive também inclui conhecer o próprio corpo e ter uma relação saudável com a masturbação;

Ser sex positive NÃO significa, necessariamente:

  • Sempre estar a fim de sexo;

  • Estar sempre à vontade em mostrar o corpo ou usar roupas sexy;

  • Ter muitos parceiros;

  • Topar tudo na cama (ou fora dela);

  • Ter um relacionamento aberto;

  • Praticar BDSM.

Como posso começar a ser mais sex positive?

  • Analise e reflita sobre suas atitudes em relação à sexo. Como foi sua criação? Quais valores e associações negativas afetaram sua visão sobre sexo?

  • Sempre é bom escrever em algum diário ou arquivo secreto sobre sua vida sexual. Vamos dar dicas daqui a pouco;

  • Informe-se! Leia muito, em fontes seguras, sobre saúde sexual, práticas sexuais, tabus, DSTs, anatomia, acessórios etc;

  • Cuidado com o que você compartilha publicamente, para que não seja usado contra você (nudes são deliciosas, e nunca é culpa da vítima se forem compartilhadas, mas tome medidas para se proteger, quando possível);

  • Lembre-se de explorar, mas sempre, sempre com segurança;

  • Não se coloque em situações de risco;

  • Converse com alguém sobre sexo. Pode ser o parceiro, amigos, psicólogo... desde que seja alguém em quem você possa confiar;

  • Você só pode ter uma vida sexual feliz e plena com outra pessoa, se começar com você mesmo. Conheça e explore seu corpo. Saiba o que você gosta, o que excita você;

  • Você só pode ter um relacionamento aberto feliz e pleno, se começar com vocês dois. É preciso estar bem a dois antes de estar bem a três, quatro, cinco...

  • Visite sites de sex shops e conheça a vasta gama de produtos (não são "brinquedos", porque esse termo infantiliza a prática sexual, como se ela fosse um passatempo, luxo ou hobby, quando na verdade ela é fundamental para a felicidade e precisa ser levada a sério);

  • Ouviu falar sobre alguma prática? Leia muito sobre ela antes de tentar praticá-la;

  • Cuidado com o que falam para você que é "normal" você não sentir, como ter orgasmos, por exemplo. Ao mesmo tempo em que pressão e prazer não combinam, muitas mulheres foram levadas a acreditar que não têm o direito de gozar, porque o orgasmo feminino é "difícil". O orgasmo feminino não é difícil por natureza (temos o único órgão na natureza cujo único objetivo é nos proporcionar prazer), ele ficou difícil porque foi demonizado por séculos;

  • Tire a pressão da equação: explorar, aventurar-se e descobrir coisas novas deve ser gostoso e excitante - nunca fonte de estresse, medo, vergonha ou pressão - aprender a dizer não é tão importante quanto aprender a dizer sim;

  • Crie filhos sex positive! Imagina se tivéssemos sido criados para ter uma relação natural com nossos corpos, a nos respeitar e respeitar a sexualidade alheia? A melhor forma de fazer isso é por meio do diálogo e de usar perguntas e situações desconfortáveis como oportunidades de ensinar algo positivo ao seu filho;

  • Lembre-se que você não precisa estar com alguém para ser feliz sexualmente;

  • Quando achar que sabe tudo, volte duas casinhas - sempre temos algo a aprender;

  • Siga páginas, sites e blogs sobre sex positive;

  • A palavra "consentimento" é sagrada!

O que registrar num diário sobre sexualidade?

  • Pense em coisas que você não gostava de fazer e com o tempo acabou gostando. Isso é uma forma de lembrar que nunca devemos dizer nunca no sexo. Uma pessoa que odiava a ideia de sexo anal aos 18 anos pode acabar descobrindo aos 48 que essa é sua prática preferida;

  • Pense em traumas e experiências negativas para trabalhar (de preferência com um profissional da saúde mental) em cima delas. O que você superou? O que ainda é um gatilho para você?

  • Liste suas fantasias sexuais, talvez em duas colunas: as que você quer colocar em prática e aquelas que prefere só manter no reino das ideias;

  • (Mulheres e pessoas com vulvas e vaginas) Liste os tipos de orgasmos que você já teve ou quer ter: vaginal, clitoriano, anal, múltiplo, ponto G e outros (sim, eles são todos diferentes);

  • Fale sobre suas preferências e taras;

  • Liste suas posições preferidas, e tenha como meta experimentar outras (coloque uma meta com a qual se sente confortável, 1 nova por mês, 1 nova por ano?);

  • Faça uma lista de livros e contos eróticos que leu e gostou, assim como uma lista TBR (to be read) de obras que ainda quer ler- E coloque já a saga Sacramento Tropical nessa lista;

  • Faça um glossário de práticas, seus significados, e marque o que atrai sua curiosidade.

Outras formas de começar:

  • Crie uma playlist de músicas que deixam você com vontade de transar;

  • Leia sites de confissões eróticas;

  • Aprenda sobre práticas como BDSM, cuckholding, dogging, swing, ménage, pegging...;

  • Sempre que sentir que está julgando a sexualidade alheia, pare, reflita e se treine para aceitar que o seu jeito não é o único jeito;

  • Procure saber o que está acontecendo no mundo do sexo. Sabia que alguns motéis já criaram suítes onde é possível interagir com o casal ao lado, por exemplo?;

  • Compre um produto de um sex shop (recomendamos o www.exclusivasex.com.br);

  • Se você é contra pornografia, saiba que pode encontrar estímulo de outras formas: leia um livro erótico de qualidade, veja arte erótica, leia relatos, escreva cenas eróticas...;

  • Reserve um tempo para se amar, sem pressa. Isso pode incluir: um banho relaxante com música e velas aromáticas, deitar-se com seu novo produto sexual e explorar seu corpo inteiro, dormir sem roupa (lençóis de qualidade, super macios, são o melhor destino para seu dinheiro), comer algo delicioso e saborear cada segundo. Lembre-se de estimular todos os seus sentidos!

  • O foco de sexo não é o pênis! Se você está numa relação com um homem (e/ou é uma pessoa com pênis), experimente explorar situações sexuais, tirando o foco desse órgão. Descubra outras zonas erógenas no corpo dele, tente praticar um pouco sem penetração.

  • Se tudo parece demais para você, comece devagar. Às vezes, um ato simples como transar vendado ou ouvindo música, pode oferecer experiências fantásticas. Para algumas pessoas, menos é mais. E tudo bem. Você não é obrigado a nada.

  • O objetivo do sexo é prazer, então se você tem dificuldades de ter orgasmos, tire ele da equação. Às vezes, a pressão é tanta que ela acaba com toda a parte divertida do sexo. Se para você o orgasmo é difícil, estabeleça o objetivo justamente de não gozar, e curtir a experiência o máximo que puder;

Produtos que valem a pena:

  • Um bom vibrador;

  • Lubrificantes, sempre;

  • Plugs anais (se você está começando, escolha o tamanho P, e sempre um modelo com um puxador grande);

  • Vendas, algemas, máscaras (para quem quer apimentar, mas ainda não está pronto para coisas mais pesadas);

  • Estimulador do ponto G: o ponto G existe e pode proporcionar muito prazer à mulher, além de ser o lugar certo para explorar se você tem interesse em squirting (esguichar). Existem vários produtos, entre eles vibradores específicos para o ponto G e luvas com texturas para estimular o local);

  • Estimuladores de próstata;

  • Anéis penianos (reguláveis, e nunca use por mais de 20 minutos: estude bem como usá-los para evitar lesões);

  • Consolos com ventosas;

  • Fantasias e lingeries.

Gostou deste conteúdo? Não seja egoísta, compartilhe!


Nunca leu um bom livro erótico com história interessante? Descubra por que os leitores estão ficando viciados na saga Sacramento Tropical:



5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo